Vamos começar falando um pouco sobre as empresas.

Muitas delas começam em um ambiente familiar e com o tempo vão ganhando capital e assim começam a crescer e aparecer no mercado. Outras já começam grandes e tem altos investimentos de pessoas e/ou outras empresas. Na maioria dos casos essas empresas pequenas, médias ou grandes quebram! Um dos principais fatores que contribuem para isso é a má administração dos recursos e departamentos da empresa, muitas vezes por que os funcionários e proprietários estão ocupados demais realizando tarefas corriqueiras e muitas vezes repetitivas, por exemplo, fazendo um livro de caixa manualmente, contando seu estoque a olho, separando em planilhas e mais planilhas tudo o que fazem no dia-a-dia da empresa. No final do mês ficam dias fazendo o fechamento por que nenhum cálculo bate, faltam “aquelas folhas que ficaram em cima da mesa” que a faxineira pensou que era lixo o jogou fora, enfim, poderia listar inúmeros problemas aqui por páginas e páginas.
Mas nem tudo está perdido, pois, foi justamente visando atender essa demanda que foram surgindo os controles e sistemas para gestão e planejamento corporativo ou empresarial, conhecido hoje em dia como ERP.

Só para ficar mais claro e ter uma definição exata, a Wikipédia nos diz o seguinte: “ERP é Planejamento de recurso corporativo (em inglês Enterprise Resource Planning) é um sistema de informação que integra todos os dados e processos de uma organização em um único sistema.”
Agora vamos entender um pouco melhor isso.
Essa integração pode ser vista de duas formas, e abaixo vou citar cada uma delas.
1-Integração Funcional: Sistemas de finanças, contabilidade, recursos humanos, produção/fabricação, marketing, vendas, compras, ordens de serviço, entre outros;
2-Integração Sistêmica: Sistemas de processamento de transações, sistemas de informações gerenciais, sistemas de apoio a decisões, entre outros;

O ERP se caracteriza como uma plataforma de software (um ou mais sistemas/programas) que é desenvolvida para integrar diversos departamentos de uma empresa, permitindo automatizar e ao mesmo tempo coletar e armazenar as informações de todo o negócio.
Hoje em dia o ERP é a principal ferramenta dos negócios eletrônicos, uma arquitetura de transações que liga todas as funções de uma empresa, por exemplo, de processamento de pedido de vendas, controle e gerenciamento de estoque, planejamento de produção, planejamento de distribuição e finanças.

E para que você precisa ter um ERP na sua empresa afinal?

Depois dessa pequena introdução, fica fácil entender. No mundo corriqueiro de hoje, todos precisam de informações, e todos dizem “quanto mais informação tivermos é melhor”. Mas olhando mais atentamente, só informações muitas vezes não quer dizer nada, essas informações tem que estar dispostas de formas estruturadas e tem que ser disponibilizadas para que o decisor consiga enxergar o que essas informações querem dizer e assim tomar a sua decisão de uma forma mais assertiva.

O ERP faz isso e muito mais, esse tipo de sistema pode ajudar a sua empresa a crescer, pode te dar mais tempo livre para se preocupar com a gestão do seu negócio, pode diminuir drasticamente o número de falhas por erro humano, reduzir custos com a automação de processos e melhor gestão de compras, vendas, estoque e produção. Definitivamente deixa você empresário com a sua empresa na palma da mão somente para gerir e apontar o caminho para onde sua empresa deve ir.

Um abraço e até breve.

Texto por Mateus Ricci